Podcasts de história

Shorts de história: Dolores Huerta organiza um movimento

Shorts de história: Dolores Huerta organiza um movimento


Dolores Huerta: o ícone dos direitos civis que mostrou aos trabalhadores rurais 'Sí Se Puede'

Dolores Huerta, líder do United Farm Workers, na greve dos trabalhadores da uva Delano em Delano, Califórnia, 1966. A greve deu início ao movimento moderno dos trabalhadores rurais. Jon Lewis / cortesia de LeRoy Chatfield ocultar legenda

Dolores Huerta, líder do United Farm Workers, na greve dos trabalhadores da uva Delano em Delano, Califórnia, 1966. A greve deu início ao movimento moderno dos trabalhadores rurais.

Jon Lewis / cortesia de LeRoy Chatfield

Aos 87 anos, Dolores Huerta é um ícone vivo dos direitos civis. Ela passou a maior parte de sua vida como ativista política, lutando por melhores condições de trabalho para os trabalhadores rurais e pelos direitos dos oprimidos, uma forte crente no poder da organização política para efetuar mudanças.

E, no entanto, seu papel no movimento dos trabalhadores rurais há muito foi ofuscado pelo de Cesar Chavez, seu colaborador de longa data e co-fundador do que se tornou o sindicato United Farm Workers of America. Isso é verdade mesmo quando se trata de crédito por cunhar o famoso slogan do movimento, Sim se puede - O espanhol significa "Sim, nós podemos" - que inspirou o grito de guerra do próprio presidente Obama e muitas vezes foi erroneamente atribuído a Chávez. (Obama reconheceu Huerta como a fonte dessa frase quando lhe concedeu a Medalha Presidencial da Liberdade em 2012. Ela fala sobre suas origens abaixo.)

Dolores, um novo documentário do diretor Peter Bratt, visa finalmente esclarecer as coisas. O filme narra a evolução de Huerta de uma adolescente indignada com as injustiças raciais e econômicas que viu no Vale Central agrícola da Califórnia a um arquiteto-chave do boicote nacional às uvas que levou aos primeiros contratos sindicais de trabalhadores rurais. No auge, cerca de 17 milhões de pessoas pararam de comprar uvas.

Huerta tinha 25 anos quando se tornou diretora política da Community Service Organization, dirigida pelo influente organizador comunitário Fred Ross. Foi lá que ela conheceu Chávez, e em 1962 os dois se uniram para formar o que se tornou a UFA, organizando trabalhadores rurais que labutavam por salários tão baixos quanto 70 centavos a hora, em condições brutais.

“Eles não tinham banheiros nos campos, não tinham água fria para beber. Não tinham períodos de descanso”, disse Huerta à NPR.

Em 1965, os trabalhadores da uva entraram em greve e Huerta foi um dos principais organizadores. Ela enfrentou violência nas linhas de piquete - e sexismo de ambos os produtores que ela estava olhando e de seus aliados políticos, e de dentro de sua própria organização. A certa altura, um legislador é visto se referindo a Huerta como o "ajudante" de Chávez. Numa época em que o movimento feminista estava se enraizando, Huerta era uma figura pouco convencional: a mãe divorciada duas vezes de 11 filhos. "Quem apóia essas crianças quando ela sai nessas aventuras?" um de seus oponentes é mostrado perguntando em uma filmagem histórica.

Agora crescidos, seus filhos fornecem alguns dos relatos mais comoventes do filme. Eles falam com grande admiração pela mãe, mas também são francos sobre o preço que sua incansável dedicação à causa exigiu da família. Como disse uma filha: "O movimento se tornou seu filho mais importante".

Huerta organiza manifestações em Coachella, Califórnia, em 1969. Ela tem sido uma ativista declarada pelos direitos dos trabalhadores rurais e dos oprimidos durante grande parte de sua vida. George Ballis // George Ballis / Take Stock / The Image Work ocultar legenda

Huerta organiza manifestações em Coachella, Califórnia, em 1969. Ela tem sido uma ativista declarada pelos direitos dos trabalhadores rurais e dos oprimidos durante grande parte de sua vida.

George Ballis // George Ballis / Take Stock / The Image Work

Conforme ela se aproxima de nove décadas de vida, Huerta permanece franca e infatigável. Por meio de sua Fundação Dolores Huerta, ela continua a trabalhar com comunidades agrícolas, organizando pessoas para concorrer a cargos públicos e defendendo questões de saúde, educação e desenvolvimento econômico.

Huerta passou recentemente pela sede da NPR em Washington, D.C., onde nos falou sobre o novo filme, o trabalho de sua vida e seu ativismo contínuo. Trechos de nossa conversa são transcritos abaixo, editados para concisão e clareza.

Depois que os trabalhadores da uva entraram em greve, você dirigiu o boicote nacional às uvas. Que tipo de condições do dia-a-dia os trabalhadores rurais enfrentavam naquela época?

Bem, as condições eram terríveis. Os trabalhadores rurais ganhavam apenas cerca de 70 centavos por hora naquela época - 90 centavos era o salário mais alto que ganhavam. Eles não tinham banheiros nos campos, não tinham água potável fria. Eles não tiveram períodos de descanso. As pessoas trabalhavam de sol a sol. Foi realmente atroz. E as famílias eram tão pobres. Acho que essa é uma das coisas que realmente me enfureceu. Quando eu vi as pessoas em suas casas - elas tinham chão de terra. E a mobília era de caixotes de laranja e caixas de papelão. As pessoas eram incrivelmente pobres e trabalhavam muito. E as crianças estavam [sofrendo de desnutrição] e muito malvestidas e mal alimentadas. Eu disse: "Isso é errado", porque você viu como eles estavam trabalhando arduamente e, no entanto, não estavam recebendo nada.

Uma coisa que me impressionou ao assistir ao documentário foi a violência dirigida contra os trabalhadores rurais durante a greve. Você foi submetido a essa violência?

Oh, muitas vezes. Tivemos violência dirigida contra nós pelos próprios produtores, tentando nos atropelar por carros, apontando fuzis para nós, borrifando enxofre nas pessoas quando estavam nos piquetes. E então tivemos a violência do sindicato dos Teamsters com os capangas que eles contrataram na época - e a propósito, devo dizer que o sindicato dos Teamsters está bem hoje. [Nota do editor: em 1970, o sindicato dos Teamsters assinou um acordo com os produtores para ter acesso à organização dos trabalhadores agrícolas, minando os esforços dos Trabalhadores Agrícolas Unidos.] Eles vieram até nós com dois por quatro. Tivemos muita violência, definitivamente. E então fui espancado pela polícia de São Francisco [em 1988], o que também é mostrado no filme. [Durante esse incidente, várias de suas costelas foram quebradas e sua recuperação levou meses.]

No documentário, ouvimos muitos testemunhos comoventes de seus filhos. E eles obviamente têm muito respeito e admiração por você. Mas também falam sobre o tributo que o trabalho teve sobre a família quando eles estavam crescendo. Foi algo que pesou em você - o fato de que você foi um pioneiro, mas o tempo que você passou no ativismo significava um tempo longe de seus filhos?

Acho que é algo com que todas as mães têm de lidar, especialmente as mães solteiras. Trabalhamos e temos que deixar as crianças para trás. E eu acho que essa é uma das razões pelas quais nós, não apenas como mulheres, mas como famílias, temos que defender a educação infantil para todos os nossos filhos. Para ter certeza de que eles são cuidados, mas também educados no processo. Porque precisamos de mulheres na vida cívica. Precisamos de mulheres para concorrer a cargos públicos, para ocupar cargos políticos. Precisamos de uma feminista para estar na mesa quando as decisões estão sendo feitas para que as decisões corretas sejam feitas. Mas você sabe, na verdade, no sindicato dos camponeses - e o filme não mostra isso - sempre tivemos uma creche para as crianças. Porque quando fizemos essa greve, e especialmente quando todas as pessoas foram em marcha para Sacramento, as mulheres tiveram que assumir os piquetes.

Porque os homens estavam marchando para Sacramento?

Sim, as mulheres tiveram que assumir a greve. As mulheres tiveram que comandar todas as linhas de piquete. Eles tiveram que fazer todo o trabalho que estávamos fazendo na greve.

Você acha que as mulheres que trabalham no campo enfrentaram desafios especiais quando você estava organizando?

O sal

EPA decide não banir um pesticida, apesar de sua própria evidência de risco

Com certeza, especialmente na questão dos pesticidas. Porque você sabe, os pesticidas nos campos realmente afetam as mulheres ainda mais do que os homens. Eles afetam as crianças e afetam mais as mulheres do que os homens. Mas tivemos tantas mulheres com câncer, tantas crianças nasceram com deformidades. E também homens que morreram porque estavam pulverizando pesticidas no campo e morreram de câncer de pulmão. Este é um problema muito, muito grande até hoje para os trabalhadores rurais. Porque, embora tenhamos conseguido proibir muitos dos pesticidas, eles continuam inventando novos. E, na verdade, foi há apenas alguns meses que um grupo de trabalhadores rurais que trabalhava em um campo perto de Bakersfield foi envenenado. E um dos pesticidas que os afetou foi recentemente retirado da lista restrita pelo presidente Trump. [Nota do editor: A Agência de Proteção Ambiental, sob o presidente Obama, concluiu que o pesticida clorpirifós pode representar um risco para os consumidores e propôs bani-lo. Mas uma decisão final não foi feita até março, quando o EPA do governo Trump reverteu o curso e disse que manteria o pesticida no mercado.]

Uma das coisas no documentário que ficou comigo é que você fala isso por muito tempo, você não achou que era certo levar o crédito pelo seu trabalho.

Você sabe o que? Eu pensei muito sobre isso. Quando tivemos nossa primeira convenção constitucional para a Associação Nacional de Trabalhadores Rurais e estávamos tendo eleições e Cesar [Chávez] estava comandando a reunião, ele desceu do estrado e veio até mim. Ele disse: "Quem vai indicá-lo para vice-presidente?" E eu disse: “Oh, eu não tenho que estar no conselho. Eu só quero servir a todas as mulheres lá fora”. Quantos de nós pensamos assim?

E ele disse: "Você está louco." Então eu fiz - peguei alguém para me nomear. Mas se Cesar não tivesse me falado, eu não teria pensado nisso. E acho que isso é um problema para nós, mulheres - não achamos que precisamos estar na estrutura de poder, que precisamos estar nos conselhos onde as decisões são tomadas. Às vezes pensamos bem, não estou realmente preparado para assumir essa posição ou função. Mas eu digo [para as mulheres por aí]: Faça como os caras fazem - finja que sabe. E então você aprende no trabalho.

O slogan "Si se puede " - "Sim, nós podemos" - era você. Como você veio com isso?

Estávamos no Arizona. Estávamos organizando pessoas da comunidade para virem nos apoiar. Eles haviam aprovado uma lei no Arizona que se você dissesse "boicote", poderia ir para a prisão por seis meses. E se você dissesse "greve", você poderia ir para a prisão. Então, estávamos tentando nos organizar contra essa lei. E eu estava falando com um grupo de profissionais no Arizona, para ver se eles poderiam nos apoiar. E eles disseram: "Oh, aqui no Arizona você não pode fazer nada disso. No Arizona não se pode - não você não pode." E eu disse: "Não, no Arizona sí se puede! " E quando voltei para a nossa reunião que tínhamos todas as noites lá. Dei esse relatório a todos e quando disse: "Sim se puede, "todo mundo começou a gritar,"Sí se puede! Sí se puede! " E então esse se tornou o slogan de nossa campanha no Arizona e agora é o slogan do movimento pelos direitos dos imigrantes, você sabe, em cartazes. Nós podemos fazer isso. Eu posso fazer isso. Si se puede.


Curtas de História: Dolores Huerta Organiza um Movimento - HISTÓRIA

Apresente Dolores Huerta. Considere a criação de um breve power point para compartilhar com os alunos. (recursos extras da Fundação Dolores Huerta)

Nasceu em 10 de abril de 1930 em Dawson, Novo México

Seu pai era trabalhador rural, mineiro e ativista sindical. Sua mãe era ativa na comunidade, recebendo trabalhadores de baixa renda para alugar quartos em seu hotel.

Dolores tornou-se organizadora da Organização de Serviço Comunitário de Stockton. Ela fundou a Associação dos Trabalhadores Agrícolas logo depois. Durante seu tempo com Stockton CSO, ela conheceu Cesar Chavez e eles lançaram a National Farm Workers Association juntos.

“Huerta conseguiu obter 'Ajuda para Famílias Dependentes' e seguro de invalidez para trabalhadores agrícolas na Califórnia em 1963. Ela também foi ativa na promulgação da Lei de Relações Trabalhistas Agrícolas de 1975. A Lei ALR concedeu aos trabalhadores agrícolas na Califórnia o direito de organizar e negociar coletivamente por melhores salários e condições de trabalho. ”

Huerta também é fundamental para o movimento feminista depois de encontrar Gloria Steinem em Nova York, enquanto dirigia o primeiro boicote nacional às uvas de mesa da Califórnia. Huerta então começou a testar a desigualdade de gênero dentro do movimento dos trabalhadores agrícolas.

Em 2012, o presidente Obama concedeu a Dolores Huerta a Medalha Presidencial da Liberdade, o maior prêmio civil nos Estados Unidos. Resposta de Huerta (retirada de seu site): “A liberdade de associação significa que as pessoas podem se unir em organizações para lutar por soluções para os problemas que enfrentam em suas comunidades. As grandes mudanças na justiça social em nosso país aconteceram quando as pessoas se reuniram, se organizaram e agiram diretamente. É esse direito que sustenta e nutre nossa democracia hoje. O movimento pelos direitos civis, o movimento trabalhista, o movimento das mulheres e o movimento pela igualdade para nossos irmãos e irmãs LGBT são manifestações desses direitos. Agradeço ao presidente Obama por elevar a importância da organização ao mais alto nível de mérito e honra ”.

Em seguida, mostre aos alunos um clipe e leia alguns trechos de Dolores Huerta falando em Sacramento após uma marcha com a National Farm Workers Association, ameaçando fazer greve se o governador da Califórnia não permitir que os trabalhadores rurais negociem coletivamente por salários mais altos e melhores condições de trabalho .

Perguntas para os alunos responderem durante a leitura dos trechos:

Por que os trabalhadores rurais marcharam para Sacramento?

Por que é importante que a National Farm Workers Association seja financiada pelos trabalhadores agrícolas?

O que especificamente Huerta deseja que Edmund Brown (governador da Califórnia) faça?

Como a National Farm Workers Association responderá se o governador Brown não atender às suas demandas?

Os alunos devem trabalhar em pares para responder às perguntas. Diga-lhes para sublinhar ou destacar no texto onde encontraram suas respostas.

Depois que os alunos terminarem de responder às perguntas, reúna suas folhas e analise os trechos de perguntas. Certifique-se de que os alunos estão declarando onde encontraram sua resposta no texto.

A marcha de Sacramento funcionou? Os trabalhadores agrícolas puderam negociar coletivamente por melhores salários e condições de trabalho? (sim, mas não até 1975 - da palestra)

Em uma breve resposta da construção, explique se Huerta ou Chávez tiveram o maior impacto no movimento pelos direitos dos trabalhadores agrícolas na Califórnia e por quê. Use evidências de nossas fontes primárias para apoiar sua reivindicação.

Extensão da lição: Peça aos alunos para escreverem uma postagem no blog sobre o legado de ativismo de Huerta e incluam no mínimo uma foto.

CCSS.ELA-LITERACY.RH.9-10.1
Cite evidências textuais específicas para apoiar a análise de fontes primárias e secundárias, atendendo a características como a data e a origem das informações.

CCSS.ELA-LITERACY.RH.9-10.9
Compare e contraste os tratamentos do mesmo tópico em várias fontes primárias e secundárias.

D3.3.9-12. Identifique evidências que extraem informações direta e substantivamente de fontes múltiplas para detectar inconsistências nas evidências, a fim de revisar ou fortalecer as reivindicações.


Dolores Huerta cunhou "Sí Se Puede", Carrying Legacy Advocating for Farmworkers and the Downtrodden

Dolores Huerta é uma das ativistas trabalhistas e líderes dos direitos civis mais influentes do século XX. Como administradores que estão facilitando este incrível projeto de conectar os agricultores do Vale Central e do SoCal às agências de combate à fome, estamos imensamente humilhados e inspirados pelo legado contínuo da grande organizadora comunitária Dolores Huerta.

Ela está envolvida com o movimento dos trabalhadores rurais desde 1960 e Huerta, que trabalhou ao lado de César Chávez para formar a National Farmworkers Association (hoje United Farmworkers), permanece inabalável em sua devoção para melhorar a vida das pessoas marginalizadas nas comunidades agrícolas da Califórnia.

Aos 90 anos, Huerta não tem medo! Se você pensava que o slogan da campanha do ex-presidente Barack Obama “Sim, nós podemos” originalmente era obra dele, pense novamente! Era de Huerta.

Fonte: George Ballis // George Ballis / Take Stock / The Image Work

Huerta organiza manifestações em Coachella, Califórnia, em 1969. Ela tem sido uma ativista declarada pelos direitos dos trabalhadores rurais e dos oprimidos durante grande parte de sua vida.

Quando adolescente, Huerta ficou indignada com as injustiças raciais e econômicas que viu no Vale Central e, por fim, foi uma figura central no boicote nacional às uvas, que levou aos primeiros contratos sindicais de trabalhadores rurais. No auge do boicote, estima-se que 17 milhões de pessoas pararam de comprar uvas. Primeiro, os trabalhadores rurais fizeram greve, mas isso não funcionou, então o boicote foi o próximo passo. Durou cinco anos. Funcionou e fez com que os contratos sindicais fossem assinados.

Alguns trabalhadores rurais tinham medo de lutar por seus direitos. Eles diriam a Dolores "não, se puede" (não, você não pode) sobre como lutar contra o sistema.

“Portanto, minha resposta a eles foi‘ sí se puede, sí se puede ”, disse Huerta ao Good Morning America no ano passado.

A partir daí, ela se juntou a seu mentor Fred Ross e Chávez para formar a UFW. Trabalhadores rurais, principalmente de ascendência mexicana e filipina, labutavam por salários tão baixos quanto 70 centavos a hora, em condições adversas. Eles não tinham banheiros ligados ou água potável fria nos campos. Alcançar os direitos dos trabalhadores rurais foi a primeira vez no país, e Huerta foi a chave na luta contra a injustiça pacificamente.

Fonte: Jon Lewis / Cortesia de LeRoy Chatfield no NPR

Dolores Huerta, líder do United Farm Workers, na greve dos trabalhadores da uva Delano em Delano, Califórnia, 1966. A greve deu início ao movimento moderno dos trabalhadores rurais.

Bem, quase pacificamente. Quando em São Francisco protestando contra o ex-presidente George H.W. As falsas declarações de Bush de que os pesticidas eram seguros para uso em fazendas, Huerta, com 58 anos na época, e outros ativistas foram brutalmente espancados pela polícia. Ela tinha quatro costelas quebradas e um baço pulverizado por ter sido atingida com tanta força pela polícia.

Depois de se curar e passar mais tempo com sua família após 30 anos de intenso ativismo, foi a partir daí Huerta que passou a defender os direitos das mulheres. Até hoje Huerta sabe que a luta nunca acaba.

“Só precisamos sacrificar um pouco para tornar nosso mundo um lugar melhor”, diz ela.

Estamos entusiasmados em destacar o trabalho de Huerta e mais líderes incríveis e pioneiros durante o Mês da História da Mulher! Ficamos maravilhados ao aprender sobre o trabalho de grandes líderes como Huerta. Deixe a visão deles inspirá-lo a realizar a mudança que você deseja ver no mundo e em nossa missão, justiça alimentar!

Comida civil: Dolores Huerta ainda luta pelos direitos dos trabalhadores rurais

NPR: Dolores Huerta: O ícone dos direitos civis que mostrou aos trabalhadores rurais 'Sí Se Puede'


Dolores Huerta

1. Dolores Huerta era membro da Community Service Organization ("CSO"), uma organização de base. A CSO enfrentou a segregação e a brutalidade policial, liderou campanhas de recenseamento eleitoral, pressionou por melhores serviços públicos e lutou para promulgar uma nova legislação. Dolores Huerta queria formar uma organização que lutasse pelos interesses dos trabalhadores rurais. Enquanto continuava a trabalhar na CSO, Dolores Huerta fundou e organizou a Associação de Trabalhadores Agrícolas em 1960. Dolores Huerta foi fundamental na organização dos requisitos de cidadania removidos das pensões e programas de assistência pública. Ela também foi fundamental na aprovação de legislação que permite aos eleitores o direito de votar em espanhol e o direito dos indivíduos de fazer o exame de carteira de motorista em seu idioma nativo. Dolores Huerta passou a trabalhar com Cesar Chavez. Dolores foi a principal pessoa da National Farm Workers Association ("NFWA") que negociou com os empregadores e organizou boicotes, greves, manifestações e marchas pelos trabalhadores agrícolas.

2. Possivelmente quando Dolores Huerta começou a trabalhar e realmente era desconhecida. Os empregadores não se intimidaram com ela. Dolores ouviria comentários sexistas e os ignoraria. Dolores logo prova para qualquer um que duvide dela por que ela era a negociadora e por que ela era importante para o sindicato United Farm Workers. Depois que ela foi ouvida, as pessoas começaram a respeitar Dolores. Em pouco tempo, Dolores Huerta recebeu o apelido de "Senhora Dragão", porque era uma negociadora feroz e organizadora dos direitos dos trabalhadores agrícolas.

3. Dolores Huerta foi a principal negociadora durante a greve da uva Delano. Em 1965, Dolores Huerta e Cesar Chavez foram abordados por membros filipinos do Comitê Organizador de Trabalhadores Agrícolas ("AWOC"). A AWOC queria salários mais altos para os produtores de uvas Delano. A AWOC queria negociar novos contratos com seus empregadores, mas precisava da ajuda de Huerta e Chávez. A NFWA ainda era nova e crescente, embora Huerta pensasse que a NFWA não estava pronta para atacar a América corporativa, ela não podia se recusar a ajudar o AWOC. Os dois sindicatos formaram um único sindicato denominado United Farm Workers union. Sob este sindicato Dolores começou a batalha com os produtores de uvas Delano. Dolores organizou mais de 5.000 trabalhadores para abandonar seus empregos e fazer greve até que pudessem chegar a um acordo com seus empregadores. Dolores negociou e administrou os contratos e conduziu mais de cem procedimentos de reclamação em nome dos trabalhadores. Não houve sucessores que seguiram os passos de Dolores Huerta.

4. Dolores Huerta criou o lema da UFW. "Si se puede", que significa sim, podemos. Dolores nunca pensou que o UFW não pudesse fazer algo. Pelo contrário, Dolores achava que o sindicato poderia fazer qualquer coisa em que colocassem sua mente e alma.


Dolores Huerta: ícone militante pouco conhecido com um grande papel na história

A pequena e esguia Dolores Huerta, com sua voz suave, mas firme, estava animando uma multidão em um comício em Los Angeles contra um oleoduto em Dakota do Norte. Dezenas de pessoas ecoaram ruidosamente suas palavras.

& # 8220Ela & # 8217s um ícone, & # 8221 a atriz Jane Fonda disse à AFP. Fonda, que organizou o protesto, freqüentemente cruzou caminhos com a infatigável militante Huerta, uma ativista em uma gama impressionante de movimentos: pelos sindicatos, feministas, ecologistas e direitos humanos & # 8212 e pela não violência.

Aos 86 anos, a inspiração para Barack Obama & # 8217s & # 8220Yes We Can & # 8221 slogan & # 8212 ele concedeu a Huerta a Medalha Presidencial da Liberdade, a maior honra civil da nação & # 8217s & # 8212 permanece amplamente desconhecida do público em geral.

Ela era uma companheira de armas de Cesar Chavez, o famoso líder dos protestos dos trabalhadores agrícolas. No entanto, embora suas ruas tenham seu nome e um monumento erguido em sua homenagem, Huerta permanece em grande parte nas sombras.

Mas agora, um documentário chamado & # 8220Dolores & # 8221 pré-estrelado no Festival de Cinema de Sundance no mês passado, quer dar a Huerta seu devido lugar na história.

O filme, co-produzido pelo guitarrista Carlos Santana, tem uma mensagem importante de que a participação das mulheres na história também deve ser registrada e homenageada ”, disse ela em uma entrevista nos escritórios de sua fundação em Bakersfield, em no coração da região agrícola da Califórnia.

& # 8220 Espero que isso inspire mais mulheres a se envolverem. & # 8221

& # 8220Eu chamo de HIS-tory, & # 8221 ela disse. & # 8220É & # 8217s fácil de ver na última eleição & # 8212, tivemos uma mulher que era soberbamente qualificada para ser presidente dos Estados Unidos que não foi eleita, mesmo que ganhasse o voto popular, e você tinha um homem que não tinha experiência em governar em tudo o que foi eleito. & # 8221

& # 8220 Mostra como as mulheres em nossas sociedades são desvalorizadas e desrespeitadas & # 8221 disse Huerta.

O diretor Peter Bratt diz que Huerta, descendente de imigrantes mexicanos que foi criada por uma mãe solteira durante a Depressão, & # 8220 impactou nossa evolução democrática nos últimos 50 anos. & # 8221

& # 8220Dolores & # 8221 traça o nascimento da United Farm Workers (UFW), co-fundada na década de 1960 por Huerta e Chávez.

Ele revisita sua luta pelos direitos humanos básicos dos trabalhadores agrícolas: água potável, banheiros funcionando, condições seguras de trabalho, intervalos regulares para descanso, seguro-desemprego e um salário mínimo.

Huerta e Chávez organizaram greves, marchas espetaculares na legislatura da Califórnia e um boicote à uva em todo o país para protestar contra as más condições enfrentadas pelos trabalhadores dos vinhedos, principalmente sua exposição a pesticidas tóxicos.

Esta mãe de 11 filhos (ela foi casada duas vezes e também teve filhos com o irmão de Chávez e Richard) marchou pelo direito ao aborto ao lado de Angela Davis e Gloria Steinem.

Ela foi presa mais de 20 vezes, foi espancada e foi gravemente ferida pela polícia durante um protesto em 1988 em San Francisco.

Vinte anos antes, ela subiu em um pódio ao lado de Robert F. Kennedy, irmão do presidente e # 8217, poucos minutos antes de ele ser assassinado em Los Angeles em 1968.

Esse incidente a deixou com um forte compromisso com a não violência e uma aversão apaixonada por armas de fogo.

"Foi muito emocionante para mim ver o filme", ​​disse ela. & # 8220 Revivi muitas coisas. & # 8221

Ela acrescentou: & # 8220Muitas questões que aborda ainda são relevantes, como violência policial, discriminação contra mulheres, o uso de pesticidas & # 8230 & # 8221

O documentário também mostra os sacrifícios feitos: aqueles que perderam a vida, foram espancados ou presos após confrontos com a polícia, as crianças que às vezes tiveram que se criar enquanto sua mãe cruzava o país por suas múltiplas causas.

& # 8220Mas é muito gratificante pensar que construímos um movimento forte & # 8221 ela disse, falando do monumento a Chávez na sede da UFW em uma propriedade bucólica na cidade de Keene.

A influência do UFW & # 8217s diminuiu, entretanto, desde que Chávez morreu em 1993.

Mas chega de falar do passado, diz Huerta.

O assunto de & # 8220Dolores & # 8221 gostaria que o documentário & # 8220 fosse menos sobre o passado e mais sobre o futuro. & # 8221

Ela mencionou os muitos trabalhos de sua fundação, incluindo uma campanha de porta em porta para registrar pessoas para votar, trabalho antidiscriminação nas escolas e a defesa de gays e lésbicas na região conservadora em torno de Bakersfield.

Com a chegada à Casa Branca de Donald Trump, Huerta & # 8212 cujos dias agitados apresentam uma série interminável de comícios de protesto, sessões de treinamento e reuniões com VIPs & # 8212 está se preparando para & # 8220 muitas, muitas lutas. & # 8221

Ela teme que o novo governo possa reduzir os ganhos em proteção ambiental, direito das mulheres ao aborto, controle de armas, salário mínimo e muito mais.

& # 8220Nós & # 8217 enfrentamos obstáculos tremendos com o presidente Nixon, Reagan quando ele era governador da Califórnia, o agronegócio & # 8221 ela disse, acrescentando: & # 8220Esta é a natureza das lutas: você dá dois passos para frente e um para trás. Mas você continua. & # 8221

Mensagem de despedida de Huerta para seus concidadãos: & # 8220 Organizem-se, vão ao seu bairro, conversem com as pessoas, envolvam-se.

& # 8220Muitas pessoas vão marchar e protestar, mas no final do dia você tem que traduzir isso para votação. & # 8221


Crescendo com um ativista: um legado valioso

En español | Por meio do auto-sacrifício, do compromisso com a não-violência e de sua espiritualidade, César Chávez e Dolores Huerta mudaram uma nação. Juntos, eles fundaram o movimento dos trabalhadores rurais, lutaram contra o agronegócio e organizaram milhares de trabalhadores para que ganhassem um salário digno e tivessem condições justas de trabalho. Em 1962, eles lançaram a National Farm Workers Association, que precedeu o sindicato United Farm Workers of America (UFW).

Avançar la causa, eles levaram uma vida altruísta. Ambos perderam tempo com suas famílias numerosas e amorosas para defender os direitos humanos dos trabalhadores rurais. Eles viviam em miséria voluntária para não drenar recursos do movimento. Eles também viviam em perigo, suas vidas ameaçadas muitas vezes.

Com sua paixão e força, Chávez e Huerta suportaram as adversidades e transmitiram seus valores de serviço e comunidade a seus filhos.

Hoje Huerta continua la lucha, assim como seus filhos, suas famílias e os filhos de Chávez. Continuam a acreditar nas palavras ditas por Chávez, que marcaram o movimento: “É minha mais profunda convicção que só dando vida a encontramos”.

As Crianças Chávez
Raspadas e Folhetos

Onze anos após a morte de Chávez, seus filhos se lembram de um homem gentil e carinhoso.

Paul, um dos oito filhos que Chávez teve com a esposa Helen, é presidente do National Farm Workers Service Center Inc. (NFWSC), a organização sem fins lucrativos fundada por Chávez e Huerta na década de 1960. “Aprendemos desde cedo que precisávamos compartilhar nosso pai com sua família numerosa. Claro, houve momentos em que gostaríamos de tê-lo por perto ”, explica Paul, 47. “Não crescemos com ele nos levando a jogos de beisebol da Little League porque ele estava na estrada ou em campanhas diferentes. Mas o que ele fez foi encontrar maneiras de nos envolver em seu trabalho e no trabalho do movimento que nos permitiu passar um tempo juntos. Ele era muito criativo assim. ”

Paul se lembra dos primeiros dias, quando seu pai não tinha funcionários e precisava distribuir folhetos. “Ele pegava meus irmãos e irmãs e meus primos ... e nos colocava na caminhonete e íamos folhear. Foi um trabalho duro, mas no final do dia ele nos levava para conseguir raspadas [cones de neve] e nos leve ao parque para jogar softball. ”

Compartilhar os momentos de luz foi especial. “À medida que envelhecemos, vejo o sacrifício que meu pai fez e sei que foi difícil, por isso é difícil julgá-lo, sabendo que ele não o fez por negligência. Ele fez isso com o simples sacrifício. ”

Depois que Paul se formou no colégio, seu pai assumiu uma função diferente: chefe. Paul se lembra de como Chávez o encorajou a assumir diferentes cargos na UFW. Ele primeiro trabalhou na gráfica e depois passou a organizar os trabalhadores. Depois disso, ele atuou como negociador e diretor político do sindicato e lobista em Sacramento, Califórnia e Washington, DC Sem o incentivo constante de seu pai - que o fez acreditar em si mesmo - ele não acha que poderia ter enfrentado os diversos desafios . Eloise Chávez Carrillo, supervisora ​​de folha de pagamento da Delano High School, na Califórnia, lembra-se de ter enfrentado assédio na escola e na comunidade por causa do trabalho de seu pai. "Foi muito dificil. Na escola, as crianças eram simplesmente horríveis ”, diz ela. “Lembro que costumava dizer ao meu pai:‘ Você não pode ser um pai normal, ter um emprego normal? As pessoas falam sobre você. '”

Moradores da cidade e crianças em idade escolar chamavam seu pai de preguiçoso e comunista e alegavam que ele estava tirando dinheiro das pessoas. “Ele costumava se sentir mal quando contávamos essas histórias para ele. Ele sempre nos dizia: ‘Vire sua bochecha. Vamos orar por eles. '”

Na Delano High School, “até a administração parecia muito anti-sindical”, conta o agora 52 anos. “Os produtores dominavam este lugar naquela época. Muitos [dos produtores] tinham filhos na escola da nossa idade. Costumava haver muitos piquetes e atividades e, claro, quando voltávamos para a escola na segunda-feira, ouvíamos sobre isso. ”

Chávez Carrillo, filha do meio da família, explica que sua força para enfrentar veio de seus pais. “My father always reminded us to turn the other cheek and that there were a lot of people who would say things to try to hurt you….If you just prayed and had faith, then one day they’d realize that the union was here and that it wasn’t going anywhere.”

The Huerta Children
Enriching Activism

At age 74, Huerta, a mother, grandmother, and great-grandmother, continues to inspire activism. Her second-eldest daughter, Lori de León, is a program developer at the foundation named after her mother. “I became very aware at a young age that there were needs of people that were not being met. I would travel with my mother to [farm workers’] homes and see dirt floors and cardboard and chicken wire, and newspaper-stuffed walls. I knew [my mother] was very special because she was helping them,” says the 52-year-old.

She recounts the difficulty of sharing her mother with the movement: “We didn’t have an upbringing. We were on our own. At a young age all my brothers and sisters realized the importance of her work.” She recalls when her mother missed her 13 th birthday, at the time a very special birthday to de León, to instead help organize orange pickers who worked for Minute Maid in Florida. Huerta told her young daughter that by sacrificing her personal needs and wants for that day, thousands of farm workers and their children, could benefit. “How could anyone argue with that?” de León recalls.

The values her mother impressed upon her were demonstrated through Huerta’s activism. “There are more important things than money, like people,” says de León, repeating her mother’s teachings: “People come first. Every person has a value and must be valued.”

The high profile of Huerta, Chávez, and their work meant the threat of violence loomed large. The children feared for their parents’ safety—and with good reason, de León says. “Minutes before the assassination of Robert F. Kennedy, my mother had been standing at his side on stage during his acceptance speech. He acknowledged her work and that of the farm workers who helped him win the California primary. Minutes later, he was shot.” Huerta also survived attacks in her home and on the picket line. She was once taken hostage. Learning to maintain self-control in the face of violence made them more committed to nonviolence, de León reflects. “We, my siblings and César’s children, all realized the treasures we had in César and my mother. All my siblings were willing to lay down our lives to protect my mother and César.”

Emilio J. Huerta, 47, the second-eldest son, is the NFWSC general counsel. He admits the financial strain the family endured was painful, but says his mother’s activism enriched his upbringing. As she followed the workers across the nation, Dolores Huerta took her children with her.

“In one sense it was tough because we had to move a lot…. But at the same time, we saw a lot of this country that we probably would not have otherwise seen,” he says. “We lived in San Francisco and New York City. We got to travel to places like Chicago, up and down California. We got to experience living in different communities, living among different kinds of people…. We got to be on the front line and witness firsthand a lot of the social changes that took place.”

Their mother provided a strong foundation for all 11 of them.

“She always encouraged me to use my intellect and my wit. She conveyed to me that I was smart, and encouraged me to use my skills to help people as she did,” he recounts. “At one time her dream was to have all of us become labor organizers or activists. In our own way we did. She always encouraged us to be of service to others. I’m an attorney, my brother’s a doctor, and my sister’s a nurse. We gravitated toward those careers that would help people improve their lives. That was her theme all the time as we were growing up.”


History Shorts: Dolores Huerta Organizes a Movement - HISTORY

Co-founder of the United Farm Workers Association, Dolores Clara Fernandez Huerta is one of the most influential labor activists of the 20 th century and a leader of the Chicano civil rights movement.

Born on April 10, 1930 in Dawson, New Mexico, Huerta was the second of three children of Alicia and Juan Fernandez, a farm worker and miner who became a state legislator in 1938. Her parents divorced when Huerta was three years old, and her mother moved to Stockton, California with her children. Huerta’s grandfather helped raise Huerta and her two brothers while her mother juggled jobs as a waitress and cannery worker until she could buy a small hotel and restaurant. Alicia’s community activism and compassionate treatment of workers greatly influenced her daughter.

Discrimination also helped shape Huerta. A schoolteacher, prejudiced against Hispanics, accused Huerta of cheating because her papers were too well-written. In 1945 at the end of World War II, white men brutally beat her brother for wearing a Zoot-Suit, a popular Latino fashion.

Huerta received an associate teaching degree from the University of the Pacific’s Delta College. She married Ralph Head while a student and had two daughters, though the couple soon divorced. She subsequently married fellow activist Ventura Huerta with whom she had five children, though that marriage also did not last. Huerta briefly taught school in the 1950s, but seeing so many hungry farm children coming to school, she thought she could do more to help them by organizing farmers and farm workers.

In 1955 Huerta began her career as an activist when she co-founded the Stockton chapter of the Community Service Organization (CSO), which led voter registration drives and fought for economic improvements for Hispanics. She also founded the Agricultural Workers Association. Through a CSO associate, Huerta met activist César Chávez, with whom she shared an interest in organizing farm workers. I n 1962, Huerta and Chávez founded the National Farm Workers Association (NFWA), the predecessor of the United Farm Workers’ Union (UFW), which formed three year later. Huerta served as UFW vice president until 1999.

Despite ethnic and gender bias, Huerta helped organize the 1965 Delano strike of 5,000 grape workers and was the lead negotiator in the workers’ contract that followed. Throughout her work with the UFW, Huerta organized workers, negotiated contracts, advocated for safer working conditions including the elimination of harmful pesticides. She also fought for unemployment and healthcare benefits for agricultural workers. Huerta was the driving force behind the nationwide table grape boycotts in the late 1960s that led to a successful union contract by 1970.

In 1973, Huerta led another consumer boycott of grapes that resulted in the ground-breaking California Agricultural Labor Relations Act of 1975, which allowed farm workers to form unions and bargain for better wages and conditions. Throughout the 1970s and ‘80s, Huerta worked as a lobbyist to improve workers’ legislative representation. During the 1990s and 2000s, she worked to elect more Latinos and women to political office and has championed women’s issues.

The recipient of many honors, Huerta received the Eleanor Roosevelt Human Rights Award in 1998 and the Presidential Medal of Freedom in 2012. As of 2015, she was a board member of the Feminist Majority Foundation, the Secretary-Treasurer Emeritus of the United Farm Workers of America, and the President of the Dolores Huerta Foundation.


A Life ofꂬtivism

In 1960, Huerta started the Agricultural Workers Association (AWA). She set up voter registration drives and lobbied politicians to allow non–U.S. citizen migrant workers to receive public assistance and pensions and provide Spanish-language voting ballots and driver&aposs tests. During this time, Dolores met Cesar Chavez, a fellow CSO official, who had become its director. 

In 1962, both Huerta and Chavez lobbied to have the CSO expand its efforts to help farm workers, but the organization was focused on urban issues and couldn’t move in that direction. Frustrated, they both left the organization and, with Gilbert Padilla, co-founded the National Farm Workers Association (NFWA). The two made a great team. Chavez was the dynamic leader and speaker and Huerta the skilled organizer and tough negotiator.

In 1965, the AWA and the NFWA combined to become the United Farm Workers Organizing Committee (later, simply the United Farm Workers). That year, the union took on the Coachella Valley grape growers, with Chavez organizing a strike of all farm workers and Huerta negotiating contracts. 

After five hard years, the United Farm Workers (now affiliated with theਊmerican Federation of Labor and Congress of Industrial Organizations) signed an historic agreement withꀦ grape growers that improved working conditions for farm workers, including reducing the use of harmful pesticides and initiating unemployment and healthcare benefits. Around this time, she was credited with coining the phrase "sí se puede," or "yes we can," as a means of spurring union members onward through tough times. 

In the 1970s, Huerta coordinated a national lettuce boycott and helped create the political climate for the passage of the 1975 Agricultural Labor Relations Act, the first law to recognize the rights of farm workers to bargain collectively.

During the 1980s, Huerta served as vice president of the UFW and co-founded the UFW’s radio station. She continued to speak for a variety of causes, advocating for comprehensive immigration policy and better health conditions for farm workers. In 1988, she nearly lost her life when she was beaten by San Francisco police at a rally protesting the policies of then-presidential candidate George H. W. Bush. She suffered six broken ribs and a ruptured spleen.


Women’s Liberation

As much as she was Cesar’s right hand she could also be the greatest thorn in his side. The two were infamous for their blow out arguments an element that was a natural part of their working relationship. Dolores viewed this as a healthy and necessary part of the growth process of any worthwhile collaboration. While Dolores was busy breaking down one gender barrier after another, she was seemingly unaware of the tremendous impact she was having on, not only farm worker woman but also young women everywhere.

While directing the first National Boycott of California Table Grapes out of New York she came into contact with Gloria Steinem and the burgeoning feminist movement who rallied behind the cause. Quickly she realized they shared much in common. Having found a supportive voice with other feminists, Dolores consciously began to challenge gender discrimination within the farm workers’ movement.


Assista o vídeo: Introducing.. Dolores Huerta u0026 César Chávez (Janeiro 2022).