Podcasts de história

História de Arkadelphia, Arkansas

História de Arkadelphia, Arkansas

Arkadelphia, sede do condado de Clark County, está localizada no rio Ouachita, 75 milhas ao sul de Little Rock. Agricultura e madeira são os dois pilares da economia local. Uma comunidade foi estabelecida em 1810 e incorporada em 1857. Como sede de um dos três condados mais antigos do Arkansas, Arkadelphia manteve uma rica herança arquitetônica com casas históricas que datam de 1840's.Arkadelphia é a casa da Henderson State University, organizada em 1890 como Arkadelphia Methodist College, e Ouachita Baptist University, que abriu as suas portas como Ouachita Baptist College em 1886. O hospital de Arkadelphia é Baptist Health Medical Center, anteriormente Clark County Memorial Hospital.


História de Arkadelphia, Arkansas - História

Na edição de maio de Arkansas Life revista lá & # 8217s um perfil de minha cidade natal, Arkadelphia, escrito por Heather Steadham.

A manchete diz: & # 8220De sua nova prefeitura e carros de polícia híbridos até seus planos de enviar todas as crianças para a faculdade, Arkadelphia é uma pequena cidade com uma grande visão. & # 8221

Após um passeio a cavalo por Arkadelphia com Jimmy Bolt, o gerente da cidade, Steadham escreveu: & # 8220 Atrás da estação Amtrak fica a velha Arkadelphia Milling Co., que queimou cerca de um século atrás, mas ainda é uma parte gigante da história de Arkadelphia & # 8217s e atende como um marco local com seus três antigos silos de concreto resistentes ao tempo e aos tornados. Parece que a cidade sempre, à sua maneira, tentou ser progressista e, quando a Arkadelphia Milling Co. fechou, a Arkadelphia procurou o turismo para ajudar a sua economia. Jimmy me contou como Arkadelphia costumava ser conhecida por ter mais postos de gasolina (per capita) do que qualquer outra cidade e, de fato, a Encyclopedia of Arkansas relata que & # 8216Ripley & # 8217s Believe It or Not & # 8217 proclamou que o pequeno Deus- temendo que a cidade tivesse mais estações de serviço do que & # 8212 suspiro! & # 8212 igrejas.

& # 8220Mas hoje em dia há coisas muito melhores para Jimmy se gabar. Ele me mostra a beleza do canteiro de flores cheio de tulipas e azaléias ao lado do viaduto Martin Luther King Jr. que o Rotary Club construiu quando ele era presidente, tornando uma das duas principais entradas da cidade uma alegria ao chegar. Ele me mostra a disposição amigável dos edifícios do Sistema de Saúde Batista, que estão agrupados para formar uma vila médica inteira. E ele me mostra o centro de recreação superincluído no Feaster Park, onde turistas e residentes podem desfrutar de um parque aquático, um parque de skate, uma instalação de recreação coberta, campos de softball, quadras de basquete ao ar livre e outras áreas de lazer, tudo em um local centralizado. É como se & # 8230 houvesse um plano. & # 8221

Steadham encerra seu brilhante perfil da cidade desta forma: & # 8220Quando deixo Arkadelphia, dirigindo de volta pela rua que separa o que a princípio pensei serem duas universidades controversas, vejo o que de alguma forma perdi ao entrar. Acima da estrada, a ponte liga os dois lados da ravina. Escritas ao longo de sua face estão as palavras & # 8216Arkadelphia: É & # 8217s um ótimo lugar para se chamar de lar. & # 8217 Quando uma pequena cidade se desintegra após um desastre devastador, quando pessoas boas lutam para acabar com a intolerância, quando as rivalidades mais amargas se tornam literalmente e metaforicamente ligados, e todos esses se tornam inextricavelmente entrelaçados para formar uma comunidade, eu tenho que concordar. É um ótimo lugar para chamar de lar. & # 8221

O artigo, veja bem, foi escrito antes de ser anunciado no mês passado que uma empresa chinesa com 10.000 funcionários em todo o mundo & # 8212 Shandong Sun Paper & # 8212 construirá uma fábrica de celulose de US $ 1,3 bilhão perto de Arkadelphia para criar materiais para fraldas infantis e outros produtos . Será a primeira operação da Sun Paper & # 8217 na América do Norte e representa um dos maiores investimentos do setor privado na história do Arkansas. Portanto, a Arkadelphia está mais quente do que nunca do ponto de vista do desenvolvimento econômico.

Mais de 2.000 trabalhadores estarão envolvidos na fase de construção durante os próximos três anos, o que deve fazer com que os negócios em motéis, restaurantes e lojas da área aumentem. Quando estiver em operação, a fábrica empregará 250 pessoas diretamente. O maior impacto, no entanto, virá dos 400 caminhões de madeira de pinho que a fábrica irá consumir diariamente quando estiver em plena capacidade. Essa demanda de madeira criará cerca de 1.000 empregos adicionais. Isso está certo: 400 caminhões por dia.

Na década desde que o centro habitacional começou, o cinturão de pinheiros do sul do Arkansas tem produzido madeira mais rapidamente do que pode ser colhida. Há um enorme excesso de oferta de madeira para celulose. Milhares de acres que antes eram plantações em linha ou pastagens para gado no sul do Arkansas foram plantados com pinheiros, mas o desbaste necessário não ocorreu devido à falta de demanda. Há mais madeira no Arkansas agora do que em qualquer momento nos últimos 75 anos.

Como a casa da Ouachita Baptist University e da Henderson State University, Arkadelphia será sempre, antes de mais nada, uma cidade universitária.

O que o anúncio da Sun faz, porém, é posicionar Arkadelphia e o resto do condado de Clark no centro da indústria madeireira do estado. Outras cidades do sul do Arkansas viram cortes de empregos no setor pelo menos na última década, mas a Georgia-Pacific, nas proximidades de Gurdon, já contrariou a tendência investindo US $ 37 milhões em sua serraria, aumentando a capacidade em 60 por cento.

Além de ser uma cidade universitária desde o final de 1800, Arkadelphia tem uma longa tradição de processamento de produtos cultivados e encontrados na área.

A fábrica de sal operada por John Hemphill do outro lado do rio Ouachita de Arkadelphia no início de 1800 foi considerada uma das primeiras preocupações de fabricação do estado. Uma grande chaleira de sal enfeita o gramado do Tribunal do Condado de Clark. A placa na chaleira (que por décadas esteve no campus Henderson) diz: & # 8220Usado na produção de sal da água de Saline Bayou uma milha a leste de Arkadelphia por John Hemphill, pioneiro produtor de sal do Território de Arkansas. Dado ao Henderson State Teachers College Museum pela família do Capitão Robert W. Huie, 1845-1929, amigo e benfeitor do colégio. & # 8221

Os índios Caddo vinham obtendo sal da área há centenas de anos. No final dos anos 1700, Louis Badins referiu-se a Saline Bayou, & # 8220 cuja água rende por evaporação um quinto do sal tão corrosivo que consome carnes que são salgadas com ele e queima os sacos nos quais é colocado. & # 8221

A refinaria de sal Hemphill & # 8217s operou de 1812-51. Havia outros lugares no Condado de Clark onde o sal era produzido. Em 1830, H.A. Whittington descreveu a propriedade de Barkman como tendo & # 8220 cerca de 5.000 acres com várias nascentes de sal, com os quais ele faz cerca de 5.000 alqueires de sal por ano. & # 8221

Os confederados aumentaram a produção de sal no condado durante a Guerra Civil. Chaleiras como a que está agora em exibição no tribunal tinham capacidade para 200 galões e eram usadas para ferver água, com o sal deixado no fundo.

No início dos anos 1900, uma das indústrias mais prósperas do Arkansas era a Arkadelphia Milling Co., que produzia farinha, farinha e ração. O moinho funcionava 24 horas por dia e tinha o lema: & # 8220Nunca dormimos. & # 8221 Sua marca de farinha Dolly Dimple era conhecida em toda a região. A fábrica, infelizmente, foi vítima da Grande Depressão e fechou em 1932.

De 1915 a 1920, a Arkadelphia Lumber Co. operou uma das maiores serrarias do Sul & # 8217 a oeste de Arkadelphia na cidade de Graysonia. Quase 500 funcionários produziram mais de 150.000 pés quadrados de madeira serrada por dia. Graysonia não existe mais, há muito tempo ultrapassada pelos pinhais que outrora forneciam o sustento de centenas de pessoas que ali viviam.

Arkadelphia estava entre as principais cidades do estado no início de 1900. Além da Arkadelphia Lumber Co. e da Arkadelphia Milling Co, a Temple Cotton Oil Co. também estava prosperando. O Arkadelphia Rotary Club foi formado em 1919, apenas seis anos após o famoso Club 99 ter sido estabelecido em Little Rock. O clube Arkadelphia desempenhou um papel fundamental na arrecadação de dinheiro para atualizar o sistema de água da cidade e fez lobby para que as ruas da cidade fossem pavimentadas.

As empresas que contribuíram para o mix econômico em Arkadelphia após a Segunda Guerra Mundial incluíram Reynolds Metals Co., Hollywood Maxwell, Oberman Manufacturing, Ouachita Marine, Levi Strauss & amp Co. e Tectum Corp.

A educação sempre foi uma parte importante da economia.

Ray Granade escreveu para a Encyclopedia of Arkansas History & amp Culture: & # 8220Arkadelphia tornou-se um centro educacional com a abertura de duas faculdades para pessoas brancas (Ouachita Baptist College em 1886 e Arkadelphia Methodist College em 1890), duas escolas para afro-americanos (Bethel College AME em 1891 e Coloured Presbyterian Industrial School em 1896), e o primeiro de uma série de faculdades de administração (Draughon & # 8217s em 1891).

& # 8220Além disso, uma escola primária e secundária para estudantes negros, chamada Arkadelphia Presbyterian Academy, foi fundada em 1882. A Arkadelphia Baptist Academy foi inaugurada em 1890, posteriormente atualizando seu nome e tornando-se associada ao Arkansas Baptist College em Little Rock em 1892. A atividade de cidadãos voltados para a educação levou um jornal local a se referir à comunidade consistentemente como & # 8216a cidade das faculdades & # 8217, enquanto outros locais a chamavam de & # 8216a Atenas de Arkansas. & # 8217 Começando com seu primeiro jogo em 1895 e continuando até os dias de hoje, a Henderson State University e a Ouachita Baptist University mantiveram uma rivalidade no futebol chamada Battle of the Ravine porque as duas escolas estão posicionadas em frente a outra em cada lado da US Highway 67. & # 8221

A madeira continuou sendo uma parte importante da economia da área. Em 1967, Esther Ross e sua filha, Jane Ross, começaram a Fundação Ross. Pai de Esther & # 8217, J.G. Clark, tinha sido proprietário de vastas áreas da floresta florestal do sul do Arkansas.

A Fundação Ross administra mais de 60.000 acres para fins de conservação e caridade. Ao longo dos anos, ela despejou milhões de dólares em fundos de caridade no condado. Sua realização mais notável ocorreu em 2010, quando a fundação uniu forças com o Southern Bancorp, com sede em Arkadelphia, para estabelecer o Arkadelphia Promise, que garante que as mensalidades da faculdade sejam pagas para graduados da Arkadelphia High School.

J.G. Clark havia começado seu império na indústria de produtos florestais no final do século XIX. Após a morte de seu pai em 1955, Jane Ross administrou os interesses comerciais de sua família. Ela permaneceu como presidente da Fundação Ross até sua morte em 1999. Em 1979, Ross cedeu muito do controle sobre as operações diárias da fundação a Ross Whipple, um parente. Whipple, que fundou e depois vendeu o Horizon Bancorp e o Summit Bancorp, provou ser um administrador astuto dos ativos da fundação. Certa vez, ele descreveu as terras da fundação como sendo & # 8220 como uma mini-floresta nacional. & # 8230 Eu cortei meus dentes na floresta. Essas árvores não respondem a você. Aqui no Condado de Clark, a forte história da indústria florestal, bem como o crescimento futuro, me entusiasmam. & # 8221

Em seu artigo para Arkansas Life, Steadham descreveu os escritórios da Fundação Ross desta forma: & # 8220A peça central circular em forma de silo que vi do lado de fora é na verdade um átrio no centro do edifício, seu teto de vidro lançando a luz do meio-dia em um piso feito de anéis concêntricos de madeira como um toco de árvore cortado. As paredes são de pedra e as trepadeiras sobem por vigas de madeira. Sei imediatamente que estou em um estado de pensamento incomum. & # 8221

Ao escrever sobre o Arkadelphia Promise, Steadham disse: & # 8220 Desde que o programa de bolsas de estudo começou em 2011, o Arkadelphia Promise concedeu quase $ 2 milhões em bolsas. Ele concede uma média de mais de US $ 3.000 por aluno por ano, e os alunos da Arkadelphia frequentaram mais de 45 instituições de ensino superior em 10 estados. O que acho especialmente notável é como as coisas estão olhando no nível do ensino médio: a taxa de retenção na Arkadelphia High School foi de até 87,1 por cento em 2014. & # 8230 Atenas do Arkansas, de fato. & # 8221

Ao mesmo tempo, Whipple estava construindo seu negócio bancário, o então governador. Bill Clinton, Hillary Clinton, Mack McLarty, Rob Walton e outros conhecidos Arkansans estavam se unindo a organizações sem fins lucrativos como a Fundação Winthrop Rockefeller para criar o primeiro banco de desenvolvimento comunitário estatal na década de 1980. O objetivo era usar os recursos dos bancos comerciais para financiar atividades de desenvolvimento rural, em vez de pagar dividendos aos acionistas. O primeiro banco adquirido foi o Arkadelphia & # 8217s Elk Horn Bank & amp Trust Co. em 1988. Desde então, bancos adicionais foram adquiridos em Arkansas e Mississippi. Essas aquisições tornaram o Southern Bancorp a maior organização bancária de desenvolvimento rural do país.

No dia em que o Arkadelphia Promise foi anunciado em 2010 pelo então Gov. Mike Beebe, Whipple descreveu como & # 8220 um dos melhores eventos econômicos que já aconteceram em Arkadelphia, além de ser um tremendo benefício educacional para todos os formandos da Arkadelphia High School. & # 8221

O anúncio do investimento de US $ 1,3 bilhão da Sun & # 8217 foi o maior evento econômico na cidade desde o lançamento do Arkadelphia Promise, cinco anos antes. E, posso prometer a você, a existência do Arkadelphia Promise é um incentivo para empresas como a Sun localizar instalações na área.

Na minha coluna semanal para o Arkansas Democrat-Gazette, Escrevi sobre a visita de Bill Clinton & # 8217s a Arkadelphia três dias após o tornado F4 em 1 de março de 1997, que destruiu 60 quarteirões da cidade ou parte deles. Durante uma recepção após seu passeio a pé pelo destruído setor comercial do centro da cidade, o presidente me disse: & # 8220Eu não posso & # 8217não dizer isso publicamente, mas a maioria das cidades na metade sul do estado nunca se recuperaria de algo assim. Mas a Arkadelphia voltará porque tem bancos fortes e duas faculdades. & # 8221

Agora, acrescente à mistura um dos maiores investimentos do setor privado na história do Arkansas.

Arkadelphia parece ser a estrela brilhante do sul de Arkansas & # 8217, cumprindo a previsão feita pelo presidente Clinton naqueles dias sombrios de março de 1997.

Esta entrada foi postada na segunda-feira, 9 de maio de 2016 às 16h30 e está arquivada em Building Arkansas, Business. Você pode acompanhar qualquer resposta a esta entrada através do feed RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta ou fazer um trackback de seu próprio site.


História

A Henderson State University tem uma história única. A única universidade de Arkansas que foi controlada pela Igreja e pelo Estado, é a única pública com o nome de um indivíduo. Das nove universidades públicas do Arkansas, a Henderson é uma das duas originalmente estabelecidas como uma instituição de quatro anos que confere diplomas e é a segunda universidade mais antiga sob controle estatal. A universidade funcionou por um século sob seis nomes: Arkadelphia Methodist College (1890-1904), Henderson College (1904-1911), Henderson-Brown College (1911-1929), Henderson State Teachers College (1929-1967), Henderson State College (1967-1975) e Henderson State University (1975-).

A Henderson State University teve seu início em 6 de novembro de 1889, quando os líderes cívicos de Arkadelphia e membros da Igreja Metodista Episcopal do Sul, realizaram uma reunião municipal na igreja para discutir o estabelecimento de um colégio Metodista para Arkadelphia e no sul de Arkansas. Os líderes do movimento, no entanto, ficaram convencidos de que o interesse da comunidade poderia ser melhor atendido com o Hendrix College, uma instituição metodista estabelecida, então sujeita a realocação. A falha da Arkadelphia em proteger o Hendrix College resultou na implementação do plano original.

A instituição foi fundada em 24 de março de 1890, e foi incorporada como Arkadelphia Methodist College. Foi licenciado como uma faculdade de artes liberais de bacharelado misto de quatro anos. O colégio foi inaugurado em 3 de setembro de 1890, com 110 alunos e 10 professores. O nome foi mudado para Henderson College em 1904 para homenagear Charles Christopher Henderson, um curador e proeminente empresário local. Em 1911, o nome foi alterado para Henderson-Brown College para homenagear Walter William Brown, que também era um curador. Desde sua fundação, em 1890 até 1925, o colégio também operou uma academia, que ministrava aulas para alunos que desejavam cursar o ensino médio e não estavam preparados para ingressar no currículo escolar.

Henderson era uma instituição irmã do Hendrix College. Em 1929, a comissão educacional das Conferências Metodistas de Arkansas propôs que as duas faculdades fossem fundidas em Little Rock. No entanto, por meio dos esforços dos cidadãos do Arkadelphia e líderes religiosos e políticos do sul do Arkansas, a instituição, então conhecida como Henderson-Brown College, foi oferecida ao Estado de Arkansas. A Assembléia Geral do Arkansas promulgou uma legislação (Lei 46) para "estabelecer um Teachers College padrão em Arkadelphia", e Henderson se tornou uma filha do estado.

Hoje, a Henderson State University é uma instituição polivalente com uma matrícula de aproximadamente 3.600 alunos, oferecendo programas de graduação e pós-graduação que atendem às necessidades diversificadas de ensino superior para Arkansas e o país. Os programas de graduação são oferecidos pelo Matt Locke Ellis College de Artes e Ciências, a School of Business, Teachers College, Henderson e a Graduate School. A universidade opera o único programa de graduação em aviação do Arkansas e oferece estudos pré-profissionais. Em 1951, Henderson tornou-se um centro de graduação da Universidade de Arkansas e, em 1955, instituiu seu próprio programa de graduação. A universidade agora confere vários diplomas de pós-graduação. Desde sua fundação, Henderson ocupou uma posição de liderança educacional. Alunos e ex-alunos alcançaram reconhecimento nacional e internacional, incluindo bolsas de estudo Rhodes, Fulbright e Rotary International. Ao longo da maior parte de sua história, a universidade foi carinhosamente conhecida como "Henderson". O lema é "A Escola com Coração". As cores são vermelho e cinza, e os alunos e equipes atléticas são apropriadamente conhecidos como Reddies.


Condado de Clark, História e Genealogia do Arkansas

Uma visão geral informativa e histórica do Condado de Clark, Arkansas, incluindo duas seções separadas em um CD que inclui 4 mapas históricos (1855, 1895, 1898 e 1915) mais a Goodspeed Publishing Company de 1890 completa Memórias biográficas e históricas do condado de Clark, Arkansas livro em CD incluindo 99 biografias de família. Um recurso importante para o estudo e pesquisa da história e genealogia do Condado de Clark, Arkansas.

Este CD fascinante e detalhado contém TODO o material a seguir em duas seções separadas, TODOS em um CD:

Incluídas aqui estão as seções da região sudoeste do Arkansas de 4 mapas históricos diferentes:

A. Um raro mapa de 1855 que mostra a área do Condado de Clark, Arkansas, apenas 36 anos após a criação do Condado de Clark. Locais mostrados: Alpine * Amity * Antoine * Bigorna * Archidelphia (Arkadelphia) * Beech Cr. * Greenville * Okolona * Raymond * Roma * Terre Noir

Um mapa de Clark County, Arkansas em 1889 pode ser visto aqui: Clark County, Arkansas 1889 Mapa

B. Um mapa do condado de Clark de 1895 mostrando as localizações de 26 assentamentos diferentes, incluindo todos os seguintes: Alpine * Amity * Arkadelphia * Beirne * Burtsel * Clear Spring * Copeland Ridge * Curtis * Daleville * Flanagans * Gum Sprs. * Gurdon * Gurdon Jc. * Hardages * Hearn * Hebron * Hollywood * Leard * Mill Creek * Okolona * Scotts * Shawmut * Sloan * Smithton * Tupelo Springs * Weaver

C. Um mapa do condado de Clark de 1898 mostrando a localização de 31 assentamentos diferentes, incluindo todos os seguintes: Alpine * Amity * Arkadelphia * Ashton (ou Joslyn) * Beirne * Boswell * Bradsha * Clearspring * Curtis * Daleville * Dobyville * Elm * Goma Springs * Gurdon * Hardages * Hearn * Hebron * Hollywood * Joan * Leard * Manchester * Okolona * Reeves * Scotts * Shawmut * Smithton * Tate * Tupelo Springs * Vaden * Weaver * Whelen Springs

D. Um mapa de 1915 Clark County mostrando as localizações de 26 diferentes assentamentos, incluindo todos os seguintes: Adams * Alpine * Amity * Arkadelphia * Atlee * Beirne * Burtsel * Clearspring * Curtis * Daleville * Dobyville * Elm Point * Fendley * Gum Springs * Gurdon * Meio caminho * Hebron * Hollywood * Keyton * Leard * Lenox * Scotts * Smithton * Whelan Springs

Seção Dois de dois, TODOS em um CD: The 1890 & quotBiographical and Historical Memoirs of Clark County, Arkansas & quot por Goodspeed Publishing Company
Este livro detalhado (79 páginas ao todo) tem uma grande quantidade de informações sobre o Condado de Clark, Arkansas, desde seu assentamento mais antigo até 1890. Esta é uma réplica exata da foto de todas as páginas pertencentes ao Condado de Clark, Arkansas, incluindo todos os dados históricos e informação biográfica. Estão incluídos um total de 99 biografias familiares diferentes.


Museu Histórico do Condado de Clark

Durante minha estada em Arkadelphia, tive uma visita agradável ao Museu Histórico do Condado de Clark. O diretor do museu e uma funcionária me cumprimentaram calorosamente e forneceram uma excelente visão geral do museu. Isso incluiu a história fascinante do antigo moinho de grãos, que ainda existe e pode ser visto atrás do museu.

Esta antiga estação ferroviária possui cinco salas com uma variedade de exposições. Gostei particularmente da exibição do tribunal, que inclui alguns dos bancos originais e grades de madeira.

Enfeites de Natal também estão à venda no museu. Quando eu visitei, eles tinham apenas dois tipos de enfeites disponíveis. Esta foi uma boa lembrança da minha visita a Arkadelphia.

Do lado de fora do museu principal, há um vagão antigo da Missouri Pacific Lines. Embora o carro não esteja aberto para se aventurar no interior, é interessante dar uma volta ao redor do carro e ver como o carro está bem preservado em seu exterior.

A entrada no museu é gratuita, mas as doações são aceitas com alegria e vão para a manutenção do museu. Esta é uma verdadeira jóia de um local que vale a pena visitar enquanto estiver em Arkadelphia.

Havíamos lido sobre o Clark County Museum em nosso jornal local e decidimos que, se estivéssemos na área, o visitaríamos.

O Clark County Historical Museum é administrado pela Clark County Historical Association e é dedicado a preservar e apresentar a história da área desde os tempos pré-históricos até o presente.

O museu, que fica em 5 salas separadas da antiga Estação de Trem Missouri Pacific, tem exposições que contam a história do Condado de Clark desde o advento do primeiro assentamento americano, com foco nos eventos, atividades e indivíduos que moldaram o condado até os dias atuais . Há também uma interessante exibição interpretativa de artefatos de Caddoan (a Tribo Nativa Americana local).

No entanto, fiquei particularmente intrigado e impressionado com a exibição em Graysonia, Arkansas, que já foi uma cidade em expansão no Condado de Clark com mais de 1.000 habitantes no início do século 20 e agora é uma cidade fantasma. Graysonia, Arkansas, uma cidade de propriedade de uma empresa madeireira real com seus próprios funcionários eleitos, foi fundada pelos dois principais acionistas da Arkadelphia Lumber Company. Na verdade, foi a primeira cidade na área a ter eletricidade, o que não foi uma conquista pequena em aquela vez.

Horário do Museu Histórico do Condado de Clark:

Quarta a sexta, das 10h às 15h
Sábado 10h - meio-dia
Segunda, terça e domingo fechado
Outros horários estão disponíveis por marcação

Não há cobrança de admissão, mas todas as doações são aceitas e apreciadas com prazer

Como chegar da interestadual 30: saia na saída 73 e siga pela Pine Street (também conhecida como Hwy 51) até chegar à 6th street ou Hwy. 67, continue até chegar à antiga estação ferroviária em 750 S. Fifth Street pelos trilhos da AmTrak Railroad.


História de Arkadelphia, Arkansas - História

mv2.png / v1 / fill / w_245, h_73, al_c, usm_0.66_1.00_0.01, blur_2 / Web% 20page% 20header% 20PNG% 20 (002) .png "/>

O Museu Histórico do Condado de Clark está localizado em

750 South 5th Street em Arkadelphia, Arkansas.

O Museu continua fechado temporariamente.

O Clark County Historical Museum, fundado em outubro de 2003, está localizado no Missouri Pacific Train Depot, em Arkadelphia. O museu dedica-se à descoberta, preservação e apresentação da rica e diversa história do concelho. Como um dos cinco condados originais que compunham o Território de Arkansas em 1818, o Condado de Clark ofereceu um lar para diversas pessoas, empresas e instituições educacionais. A missão do Clark County Historical Museum é ser o & ldquokeeper de histórias & rdquo para nosso condado e nosso povo.

As exposições permanentes no museu incluem memorabilia, fotografias e artefatos dos índios Caddo aos atuais cidadãos do Condado de Clark. Entre os artefatos pré-históricos em exibição está o esqueleto parcial de uma canoa de madeira que, de acordo com a datação por carbono, tem mais de mil anos. Há exposições destacando os primeiros colonos pioneiros do Condado de Clark, o serviço militar de soldados na Guerra Civil e nas Guerras Mundiais e os estabelecimentos comerciais históricos e instituições educacionais que chamaram este condado de lar. Há também uma sala no museu onde os visitantes podem realizar pesquisas de história da família.


Arkadelphia

O Arkadelphia está localizado ao longo da Interstate 30, a cerca de 65 milhas de Little Rock, a 40 milhas do Crater of Diamonds State Park, a 40 milhas de Hot Springs e a 10 milhas do DeGray Lake Resort State Park.

A cidade tem uma localização privilegiada perto do rio Ouachita e do rio Caddo, que são destinos populares para canoagem, caiaque e pesca. As atrações nas proximidades incluem o DeGray Lake e o DeGray Lake Resort State Park, o único resort estadual do Arkansas, e o Iron Mountain Trail System, trilhas de mountain bike localizadas na costa sul do DeGray Lake, nos arredores de Arkadelphia.

Na cidade, o Feaster Park tem áreas para piquenique, um pavilhão, quadras de basquete ao ar livre, campos de softball e acesso à Feaster Trail, uma trilha pavimentada e iluminada que se estende por toda a cidade e é popular entre caminhantes, corredores, ciclistas e patinadores. O Parque Aquático Arkadelphia também está na cidade.

A trilha DeSoto Bluff é uma trilha curta de 400 metros com marcadores de informações que explicam a história dos índios Caddo, que é significativa para Arkadelphia. Termina em uma falésia com vista para o rio Ouachita. A caminhada plana e fácil termina com um piquenique e um local panorâmico para relaxar.

Arkadelphia também abriga duas universidades: Henderson State e Ouachita Baptist.

O Captain Henderson House Bed & amp Breakfast na cidade pertence e é operado pela Henderson State University. Anteriormente, foi a residência de Charles Henderson, o ex-proprietário e homônimo da Henderson State University.


Primeiros colonizadores ingleses em Arkansas

Os primeiros colonizadores de língua inglesa foram Tennesseans, Kentuckians e Alabamians. O primeiro desceu o rio Mississippi e, em seguida, penetrando o Arkansas na foz dos riachos do oeste, ascendeu em busca de futuros lares. A data da primeira vinda de colonos de língua inglesa pode ser dada como 1807, aqueles anteriores a esse tempo sendo apenas caçadores, caçadores e viajantes em expedições de descoberta, ou aqueles cujos nomes não podem agora ser determinados.

A Carolina do Sul e a Geórgia também deram suas pequenas cotas aos primeiros pioneiros do Arkansas. Dos estados ao sul do Tennessee, a rota era por terra até o rio Mississippi, ou a alguns de seus igarapés, e depois por água. Alguns deles dos estados do sul trouxeram propriedades consideráveis, e alguns deles escravos, mas não muitos foram capazes de fazer isso. A regra geral era chegar ao Território sozinho e limpar um pequeno pedaço de terreno e, o mais rápido possível, comprar escravos e colocá-los no trabalho nos campos de algodão.

Em 1814, uma colônia de emigrantes, consistindo de quatro famílias, estabeleceu-se em Batesville, então Território do Baixo Missouri, agora sede do condado de Independence County. Houve um acréscimo de quinze famílias a esta colônia no ano seguinte. Da primeira foi a família de Samuel Miller, pai do (posteriormente) governador William R. Miller, havia também John Moore, os Magnesses e Beans. Todas essas famílias deixaram nomes permanentemente ligados à história do Arkansas. Na colônia de 1815 (todos de Kentucky) estavam os irmãos, Richard, John, Thomas e James Peel, filhos de Thomas Peel, um Virginian, e companheiro de Kentucky de Daniel Boone. Thomas Curran também foi um dos colonos posteriores de Kentucky, parente do grande irlandês John Philpot Curran. Na colônia de 1815 também estavam o velho Ben Hardin & # 8211 herói de tantas guerras indígenas & # 8211 seu irmão, Joab, e William Griffin, Thomas Wyatt, William Martin, Samuel Elvin, James Akin, John Reed, James Miller e John B Craig.

Alden Trimble, que morreu em Peel, Arkansas, em abril de 1889, com setenta e quatro anos, nasceu no assentamento Gal Hogan, em White River, Condado de Marion, em 14 de junho de 1815. Este item foi obtido a partir do aviso de obituário de sua morte, e indica alguns dos primeiros colonos daquela parte do Estado.

Entre os pontos mais antigos resolvidos, depois do Arkansas Post, estava o que agora é Arkadelphia, Clark County. Chamava-se Blakelytown pela primeira vez, em homenagem a Adam Blakely. Ele havia aberto uma lojinha no local e sobre ela foram recolhidos os primeiros colonos, entre os quais agora se chamam Zack Davis, Samuel Parker e Adam Highnight. Os Blakelys e os nomes dados acima estavam todos localizados naquele assentamento no ano de 1810. No ano seguinte veio John Hemphill, que foi o primeiro a descobrir e utilizar as valiosas águas das nascentes salgadas daquele lugar. Ele se envolveu na manufatura bem-sucedida de sal e, com o tempo, foi sucedido por seu genro, Jonathan O. Callaway. Jacob Barkman se estabeleceu em Arkadelphia em 1811. Ele era um homem de visão e iniciativa, e logo estabeleceu um comércio ao longo do rio para Nova Orleans. Ele começou a navegar no rio em canoas e pirogas e, finalmente, adquiriu e administrou o comércio do primeiro barco a vapor que navegava daquele ponto até Nova Orleans. Ele impulsionou o comércio no ponto de assentamento, ao mesmo tempo em que avançou na navegação, e abriu uma grande fazenda de algodão.

In Arkansas County, among the early prominent men who were active in the county’s affairs were Eli I. Lewis, Henry Scull, O. H. Thomas, T. Farrelly, Hewes Scull, A. B. K. Thetford and Lewis Bogy. The latter afterward removed to Missouri, and has permanently associated his name with the history of that State. In a subsequent list of names should be mentioned those of William Fultony, James Maxwell and James H. Lucas, the latter being another of the notable citizens of Missouri.

Carroll County: Judges George Campbell and William King, and John Bush, T. H. Clark, Abraham Shelly, William Nooner, Judge Hiram Davis, W. C. Mitchell, Charles Sneed, A. M. Wilson, Elijah Tabor, William Beller, M. L. Hawkins, John McMillan, M. Ferryman, J. A. Hicks, N. Rudd, Thomas Callen, W. E. Armstrong.

Chicot County: John Clark, William B. Patton, Richard Latting, George W. Ferribee, Francis Rycroft, Thomas Knox, W. B. Duncan, J. W. Boone, H. S. Smith, James Blaine, Abner Johnson, William Hunt, J. W. Neal, James Murray, B. Magruder, W. P. Reyburn, J. T. White, John Fulton, Judge W. H. Sutton, J. Chapman, Hiram Morrell, Reuben Smith, A. W. Webb.

In Clark County, in the earliest times, were W. P. L. Blair, Colbert Baker, Moses Graham, Mathew Logan, James Miles, Thomas Drew, Daniel Ringo, A. Stroud, David Fisk and Isaac Ward.

Clay County: John J. Griffin, Abraham Roberts, William Davis, William H. Mack. James Watson, J. G. Dudley, James Campbell, Singleton Copeland, C. H. Mobley.

Conway County: Judge Saffold, David Barber, James Kellam, Reuben Blunt, James Barber, James Ward, Thomas Mathers, John Houston, E. W. Owen, Judge B. B. Ball, J. I. Simmons, T. S. Haynes, B. F. Howard, William Ellis, N. H. Buckley, James Ward, Judge Robert McCall, W. H. Robertson, L. C. Griffin, Judge W. T. Gamble, D. D. Mason, George Fletcher and D. Harrison.

Craighead County: Rufus Snoddy, Daniel O’Guinn, Yancey Broadway, Henry Powell, D. R. Tyler, Elias Mackey, William Q. Lane, John Hamilton, Asa Puckett, Eli Quarles, William Puryear.

In Crawford County were Henry Bradford, Jack Mills, G. C. Pickett, Mark Beane, J. C. Sumner, James Billingsley.

Crittenden County : J. Livingston, W. D. Ferguson, W. Goshen, William Cherry, Judge D. H. Harrig, O. W. Wallace, S. A. Cherry, Judge Charles Blackmore, S. R. Cherry, John Tory, F. B. Read, Judge A. B. Hubbins, H. O. Oders, J. H. Wathen, H. Bacon.

Fulton County: G. W. Archer, William Wells, Daniel Hubble, Moses Brannon, John Nichols, Moses Steward, Enos C. Hunter, Milton Yarberry, Dr. A. C. Cantrell.

Greene County: Judge L. Brookfield, L. Thompson, James Brown, J. Sutfin, G. Hall, Charles Robertson, Judge W. Hane, Judge George Daniel, G. L. Martin, J. Stotts, James Ratchford, Judge L. Thompson, H. L. Holt, J. L. Atkinson, J. Clark, H. N. Reynolds, John Anderson, Ben-jamin Crowley, William Pevehouse, John Mitch-ell, Aaron Bagwell, A. J. Smith, Wiley Clarkson, William Hatch.

In Hempstead County: J. M. Steward, A. S. Walker, Benjamin Clark, A. M. Oakley, Thomas Dooley, D. T. Witter, Edward Cross, William McDonald, D. Wilburn and James Moss.

Hot Springs County: L. N. West, G. B. Hughes, Judge W. Durham, G. W. Rogers, T. W. Johnson, J. T. Grant, J. H. Robinson, H. A. Whittington, John Callaway, J. T. Grant, Judge G. Whittington, L. Runyan, R. Huson, J. Bankson, Ira Robinson, Judge A. N. Sabin, C. A. Sabin, W. W. McDaniel, W. Dunham, A. B. MeDonald, Joseph Lorance.

Independence County : R. Searcy, Robert Bean, Charles Kelly, John Reed, T. Curran, John Bean, I. Curran, J. L. Daniels, J. Redmon, John Ruddell. C. H. Pelham, Samuel Miller, James Micham, James Trimble, Henry Engles, Hartwell Boswell, John H. Ringgold.

Izard County: J. P. Houston, John Adams, Judge Mathew Adams, H. C. Roberts, Jesse Adams, John Hargrove, J. Blyeth, William Clement, Judge J. Jeffrey, Daniel Jeffrey, A. Adams, J. A. Harris, W. B. Carr, Judge B. Hawkins, B. H. Johnson, D. K. Loyd, W. H. Carr, A. Creswell, H. W. Bandy, Moses Bishop, Daniel Hively, John Gray, William Powell Thomas Richardson, William Seymour.

Jackson County: Judge Hiram Glass, J. C. Saylors, Isaac Gray, N. Copeland, Judge E. Bartley, John Robinson, A. M. Carpenter, Judge D. C. Waters, P. O. Flynn, Hall Roddy, Judge R. Ridley, G. W. Cromwell, Sam Mathews, Sam Allen, Martin Bridgeman, John Wideman, New-ton Arnold, Joseph Haggerton, Holloway Stokes.

Jefferson County: Judge W. P. Hackett, J. T. Pullen, Judge Creed Taylor, Peter German, N. Holland, Judge Sam C. Roane, William Kinkead, Thomas O’Neal, E. H. Roane, S. Dardenne, Sam Taylor, Judge H. Bradford, H. Edgington, Judge W. H. Lindsey, J. H. Caldwell.

Johnson County: Judge George Jameson, Thomas Jenette, S. F. Mason, Judge J. P. Kessie, A. Sinclair, William Fritz, W. J. Parks, R. S. McMicken, Augustus Ward, Judge J. L. Cravens, A. M. Ward, M. Rose, A. L. Black, W. A. Ander-son, Judge J. B. Brown, A. Sinclair, William Adams, W. M. H. Newton.

Lafayette County : Judge Jacob Buzzard, Jesse Douglass, Joshua Morrison, I. W. Ward, J. T. Conway, W. E. Hodges, J. Morrison, George Dooley, J. M. Dorr, J. P. Jett, W. B. Conway, W. H. Conway, T. V. Jackson, G. H. Pickering, Judge E. M. Lowe, R. F. Sullivan, James Abrams.

Lawrence County: Joseph Hardin, Robert Blane, H. Sandford, John Reed, R. Richardson, J. M. Knykendall, H. R. Hynson, James Camp-bell, D. W. Lowe, Thomas Black, John Rodney, John Spotts, William J. Hudson, William Stuart, Isaac Morris, William B. Marshall, John S. Ficklin.

Madison County: Judge John Bowen, H. B. Brown, P. M. Johnson, H. C. Daugherty, M. Ferryman, T. McCuiston.

In Miller County : John Clark, J. Ewing, J. H. Fowler, B. English, C. Wright, G. F. Lawson. Thomas Polk, George Wetmore, David Clark, J. G. Pierson, John Morton, N. Y. Crittenden, Charles Burkem, George Colhim, G. C. Wetmore, D. C. Steele, G. F. Lawton and Judge G. M. Martin.

Mississippi County: Judge Edwin Jones, J. W. Whitworth. E. F. Loyd, S. McLung, G. C. Bartield, Judge Nathan Ross, Judge John Troy, J. W. Dewitt, J. C. Bowen, Judge Fred Miller, Uriah Russell, T. L. Daniel, J. G. Davis, Judge Nathan Ross, J. P. Edrington, Thomas Sears, A. G. Blackmore, William Kellums, Thomas J. Mills, James Williams, Elijah Buford, Peter G. Reeves.

Monroe County: Judge William Ingram, J. C. Montgomery, James Eagan, John Maddox, Lafayette Jones, Judge James Carlton, M. Mitchell, J. R. Dye, J. Jacobs, R. S. Bell.

Phillips County: W. B. R. Horner, Daniel Mooney, S. Phillips, S. M. Rutherford, George Seaborn, H. L. Biscoe, G. W. Fereby, J. H. McKenzie, Austin Hendricks, W. H. Calvert, N. Righton, B. Burress, F. Hanks, J. H. McKeal, J. K. Sandford, S. S. Smith, C” P. Smith, J. H. McKenzie, S. C. Mooney, I. C. P. Tolleson, Emer Askew, P. Pinkstou, Charles Pearcy, J. B. Ford, W. Bettiss, J. Skinner, H. Turner and M. Irvin.

Pike County: Judge W. Sorrels, D. S. Dickinson, John Hughes, J. W. Dickinson, Judge W. Kelly, Isaac White, J. H. Kirkhan, E. K. Williams, Henry Brewer.

Poinsett County: Judges Richard Hall and William Harris, Drs. Theophilus Griffin and John P. Hardis, Harrison Ainsworth, Robert H. Stone, Benjamin Harris.

Pope County: Judge Andrew Scott, Twitty Pace, H. Stinnett, W. Garrott, W. Mitchell, Judge S. K. Blythe, A. E. Pace, J. J. Morse, F. Heron, Judge Thomas Murray, Jr. , S. M. Hayes, S. S. Hayes, R. S. Witt, Judge Isaac Brown, R. T. Williamson, W. W. Rankin, Judge J. J. Morse, J. B. Logan, W. C. Webb.

Pulaski County: R. C. Oden, L. R. Curran, Jacob Peyatte, A. H. Renick, G. Greathouse, M. Cunningham, Samuel Anderson, H Armstrong, T. W. Newton, D. E. McKinney, S. M. Rutherford, A. McHenry, Allen Martin, J. H. Caldwell, Judge S. S. Hall, J. Henderson, William Atohinson, R. N. Rowland, Judge David Rorer, J. K. Taylor, R. H. Callaway, A. L. Langham, Judge J. H. Cocke, W. Badgett, G. N. Peay, J. C. Anthony, L. R. Lincoln, A. Martin, A. S. Walker, Judge R. Graves, J. P. and John Fields, J. K. Taylor, W. C. Howell, J. Gould, Roswell Beebe, William Russell, John C. Peay.

Randolph County: Judge P. R. Pittman, B. J. Wiley, William Black, R. Bradford, J. M. Cooper, B. J. Wiley, B. M. Simpson, John Janes, James Campbell, Samuel McElroy, Edward Mattix, Thomas S. Drew, R. S. Bettis, James Russell.

St. Francis County: Andrew Roane,- William Strong, S. Crouch, Judge John Johnson, T. J. Curl, G. B. Lincecum, William Lewis, Judge William Strong, Isaac Mitchell, David Davis, Isaac Forbes, Judge William Enos, N. O. Little, W. G. Bozeman, H. M. Carothers, Judge R. H. Hargrove, H. H. Curl, Cyrus Little.

Saline County: Judge T. S. Hutchinson, Samuel Caldwell, V. Brazil, C. Lindsey, A. Carrick, Judge H. Prudden, G. B. Hughes, Samuel Collins, J. J. Joiner, J. R. Conway, R. Brazil, E. M. Owen, George McDaniel, C. P. Lyle.

Scott County: Judge Elijah Baker, S. B. Walker, James Riley, J. R. Choate, Judge James Logan, G. Marshall, Charles Humphrey, W. Cauthorn, G. C. Walker, T. J. Garner, Judge Gilbert Marshall, W. Kenner.

Searcy County: Judge William Wood, William Kavanaugh, E. M. Hale, Judge Joseph Rea, William Ruttes, Joe Brown, V. Robertson, T. S. Hale, Judge J. Campbell.

Sevier County: Judge John Clark, R. Hartfield, G. Clark, J. T. Little, Judge David Forau, P. Little, William, White, Charles Moore, A. Hartfield, Judge J. F. Little, Henry Morris, Judge Henry Brown, George Halbrook, Judge R. H. Scott, S. S. Smith.

Sharp County: John King, Robert Lott, Nicholas Norris, William Morgan, William J. Gray, William Williford, Solomon Hudspeth, Stephen English, John Walker, L. D. Dale, John C. Garner, R. P. Smithee, Josiah Richardson, Judge A. H. Nunn, William G. Matheny.

Union County: John T. Cabeen, John Black, Jr., Judge John Black, Sr. , Benjamin Gooch, Alexander Beard, Thomas O’Neal, Judge G. B. Hughes, John Cornish, John Hogg, Judge Hiram Smith, J. R. Moore, John Henry, John Stokeley, Judge Charles H. Seay, W. L. Bradley, Judge Thomas Owens.

Van Buren County: Judge J. L. Laferty, P. O. Powell, N. Daugherty, Philip Wail, L. Williams, Judge J. B. Craig, Judge J. M. Baird, J. McAllister, Judge William Dougherty, A. Morrison, George Counts, A. Caruthers, W. W. Trimble, R. Bain, J. O. Young, George Hardin, A. W. McRaines, Judge J. C. Ganier.

Washington County: L. Newton, Lewis Evans, John Skelton, Judge Robert McAmy, B. H. Smithson, Judge John Wilson, James Marrs, V. Caruthers, James Coulter, J. T. Edmonson, Judge J. M. Hoge, James Crawford, John McClellan, Judge W. B. Woody, W. W. Hester, Judge John Cureton, L. C. Pleasants, Isaac Murphy, D. Callaghan. Judge Thomas Wilson, W. L. Wallace and L. W. Wallace.

White County: Judge Samuel Guthrie, P. W. Roberts, P. Crease, Michael Owens, M. H. Blue, S. Arnold, J. W. Bond, William Cook, J. Arnold, Milton Saunders, James Bird, Samuel Beeler, James Walker, Martin Jones, Philip Hilger, James King, L. Pate, John Akin, Reuben Stephens, Samuel Guthrie.

Woodruff County: Rolla Gray, Durant H. Bell, John Dennis, Dudley Glass. Michael Haggerdon, Samuel Taylor, James Barnes, George Hatch, John Teague, Thomas Arnold and Thomas Hough.

The above were all prominent men in their localities during the Territorial times of Arkansas. Many of them have left names and memories intimately associated with the history of the State. They were a part of those pioneers “who hewed the dark, old woods away,” and left a rich inheritance, and a substantial civilization, having wealth, refinement and luxuries, that were never a part of their dreams. They were home makers as well as State and Nation builders. They cut out the roads, opened their farms, bridged the streams, built houses, made settlements, towns and cities, rendering all things possible to their descendants.


Clark County

Clark County was founded on December 15, 1818, as part of Missouri Territory. One of the original five counties composing Arkansas Territory when the territory was established in 1819, Clark County included all or parts of at least fifteen counties in present-day Arkansas and parts of six counties in what is now Oklahoma. The county was named for Missouri territorial governor William Clark of the Lewis and Clark Expedition.

The county is part of two of Arkansas’s natural regions—the Ouachita Mountains and the Gulf Coastal Plain—and its physical characteristics made the area ideal for farming and hunting. Before Europeans arrived, Native Americans, particularly the Caddo, inhabited the land containing heavy forests, abundant game, rich soil, clear streams, and salt. Archaeological evidence attests to the lengthy presence of the Indians in the area.

European Exploration and Settlement
In the sixteenth century, Hernando de Soto was the first European known to explore the Ouachita Mountains region. He was followed more than a century later by the French, who named many of the county’s topological features. By the late 1700s, Europeans continued to explore and occupy the area, but Indians had largely vacated the area.

Louisiana Purchase through Early Statehood
Permanent settlement by Americans occurred soon after the Louisiana Purchase in 1803. In 1809, William Blakely established a blacksmith shop on the west bank of the Ouachita River at a site called Blakelytown (later named Arkadelphia). Across the river to the east, John Hemphill began operating a salt factory, one of the state’s earliest manufacturing concerns. By 1812, Jacob Barkman, often called the “Father of Clark County,” opened traffic on the Ouachita River to New Orleans, Louisiana, first by pirogue and keelboat and, in 1830, by steamboat. Barkman’s home served as the site of the first county court, the first post office, a stagecoach stop, a racetrack, and an ill-fated textile mill. Blakelytown’s first general store opened in 1817, operated by J. S. T. Callaway. Jonathan O. Callaway is credited with having built the town’s first hotel in 1843, and shortly thereafter, the Spence Hotel was constructed and became a well-known stopping place in the region. Moses Collins arrived in the county in 1830 and built a sawmill and a gristmill on Terre Noir Creek. A brickyard was established the same year. Reflecting the emphasis on the region’s abundant natural resources, agriculture dominated antebellum Clark County’s economy. As in much of Arkansas, cotton’s importance grew throughout the antebellum period, and slavery was common throughout the county.

In the 1830s, the Military Road was constructed along the Southwest Trail through Clark County and passed near Barkman’s home. This road became the county’s main land transportation artery. Today, U.S. 67 and Interstate 30 cross the Caddo River within a few hundred yards of Barkman’s former residence. U.S. 7 also traverses the county.

Among the county’s noted settlers was Meriwether Lewis Randolph, grandson of Thomas Jefferson. Randolph, Arkansas’s last territorial secretary, and his wife, a grandniece of Rachel Jackson (Andrew Jackson’s wife), moved to southern Clark County in 1836. After his death in 1837, Randolph was buried on the grounds of his plantation near Gurdon.

The early county seats were in or near the homes of Barkman on the Caddo and Adam Stroud near Hollywood. The county seat was also at Biscoeville. In 1831, the seat of government was established at Greenville, where it remained until 1842, when it moved to Blakelytown. Blakelytown was renamed Arkadelphia, and a courthouse was constructed. The present courthouse was built in 1899.

Churches and schools were priorities for early settlers. William Frederick Browning settled in northwest Clark County in 1841 near the present-day Amity and established a church and school by 1848. Oakland Academy opened in 1847 as a result of the effort of Michael Bozeman, who settled west of Arkadelphia in 1835 and began a large farming operation. His Greek Revival home is considered the county’s oldest residence. By 1859, three churches, the Arkansas Institute for the Blind, and several academies operated in Arkadelphia. Ouachita Baptist College (now Ouachita Baptist University) was founded in 1886, followed by Arkadelphia Methodist College (later Henderson-Brown College) in 1890. Today, public schools have been consolidated into three major districts—Arkadelphia, Gurdon, and Centerpoint—and Arkadelphia’s two universities make education an important component of the county. Arkadelphia has even been called “the Athens of Arkansas” because of the number and prominence of its educational institutions.

Religion played an important role in the lives of early Clark Countians, and they organized churches soon after settling. Dr. Willis S. Smith may have taught what was the county’s first Sunday school in Okolona in 1833. Mount Bethel Baptist Church, six miles west of Arkadelphia, was founded in 1836 and is one of the oldest Baptist churches in west Arkansas. Manchester Methodist Church was organized in the Manchester community in 1837, and the congregation built a church there in 1844. Members of Bethlehem Baptist Church in Whelen Springs first met in 1851. African Americans in the eastern part of the county began services at Mount Morriah Baptist Church in 1869. Baptists, Methodists, and Presbyterians all established congregations in Arkadelphia before the Civil War.

Civil War through the Gilded Age
The county had become a thriving community of agriculture, commerce, and education by 1860. With the onset of the Civil War, the county provided many volunteers to the Confederate cause. Arkadelphia became a major depot for the Trans-Mississippi Confederate States Army, making vital war materials such as salt, munitions, artillery, clothing, leather goods, and medicines the town had an ordnance works, the equipment of which was moved to Marshall, Texas, late in the war but which produced light artillery, pistols, rifles, and more. Clark County experienced only a few occasional skirmishes in the war. Although the county saw no major battles, the Union army briefly occupied Arkadelphia as General Frederick Steele’s forces marched through the county on the way to Camden (Ouachita County) in March 1864. Harris Flanagin, an attorney and legislator who moved to the county in 1838, served as the state’s Confederate governor during much of the Civil War.

Clark County suffered from the effects of war as did the rest of Arkansas. Impoverished and disfranchised citizens emerged slowly from the effects of war and Reconstruction until the Cairo and Fulton Railroad’s completion through Arkadelphia in 1873. Before this, the Ouachita River served as a major transportation outlet, but the river declined in importance after the railroad arrived. Arkadelphia became a principal transportation hub in southwest Arkansas, and the railroad provided the impetus for a new industry revolving around forest products. New mill towns, some short-lived, sprang up along almost every spur. One survivor, Gurdon, became a prosperous railroad and lumber center. By 1890, forest products ranked next to agriculture as a financial resource. Modern technological developments established the industry’s continued importance in the county’s economy.

Early Twentieth Century through the Faubus Era
Clark County suffered along with the rest of Arkansas from the effects of the Great Depression. For example, the Arkadelphia Milling Company closed in 1932. The company was a major manufacturer of flour, meal, stock fee, and staves and had been one of the Missouri-Pacific Railroad’s biggest customers in Arkansas. Farming in the 1930s continued to focus on cotton and small truck products, but that focus changed as the result of controls placed on production of certain crops by the National Recovery Act. Also in response to difficult economic times, community leaders initiated their first serious efforts to develop tourism. Attempts to draw travelers through the area were successful to the extent that Ripley's acredite ou não proclaimed that Arkadelphia had more service stations than churches.

World War II stimulated the development of small industry in the county. Employment rose, businesses expanded, and overall economic improvement occurred as the result of government wartime spending. Farm mechanization after World War II changed Clark County’s population distribution. From 1930 to 1970, the county lost 13.6 percent of its population, while Arkadelphia’s grew from 13.6 percent to 45.7 percent of the total, following a general population shift in Arkansas from rural to urban areas. Businesses began or continued operations in a variety of industries following the war. Companies such as Hollywood Maxwell, Oberman Manufacturing, Reynolds Metals, Gurdon Lumber Company, Barringer Lumber Company, Bean Lumber Company, Tectum Corporation, International Paper, Levi Strauss, and Ouachita Marine played an important role in the area’s economy.

Modern Era
Clark County’s economy declined in the early to mid-1980s. The county lost approximately 1,000 manufacturing jobs between 1980 and 1987, when several major plants closed, including Reynolds Metals, Levi Strauss & Co., and Torrington/Fafnir Bearing Company. But, as the 1980s ended, the county experienced some revitalization as businesses began or reopened their operations. The Value Line furniture manufacturing facility opened in 1985 AALF’s Manufacturing reopened the Levi plant in 1988 Petit Jean Poultry began processing chickens in the Clark County Industrial Park Carrier Corporation bought the Fafnir plant Rohr Industries opened its jet engine housing components plant and in 1993, Reynolds Metals began operating a facility to treat spent potliner in its previously closed Gum Springs plant.

The completion of DeGray Dam and Lake along the Caddo River in the 1970s added tourism and recreation as major components of the economy. Together with education, agriculture, and the forest products industry, these resources continue to provide the foundation for Clark County’s economic future.

For additional information:
Clark condado Historical Journal. Arkadelphia, AR: Clark County Historical Association (1973–).

Richter, Wendy, ed. Clark County, Arkansas: Past and Present. Arkadelphia, AR: Clark County Historical Association, 1992.

Syler, Allen B. Syler, et al., compilers. Through the Eyes of Farrar Newberry: Clark County, Arkansas. Arkadelphia, AR: Clark County Historical Association, 2002.


Arkansas

Parte das terras adquiridas na Compra da Louisiana, Arkansas tornou-se um território separado em 1819 e alcançou a condição de Estado em 1836. Estado escravo, Arkansas tornou-se o nono estado a se separar da união e ingressar nos Estados Confederados da América. Hoje, o Arkansas ocupa o 27º lugar entre os 50 estados em área, mas, com exceção da Louisiana e do Havaí, é o menor estado a oeste do rio Mississippi. Seus vizinhos são Missouri ao norte, Tennessee e Mississippi ao leste, Louisiana ao sul, Texas ao sudoeste e Oklahoma ao oeste. The name Arkansas was used by the early French explorers to refer to the Quapaw people𠅊 prominent indigenous group in the area𠅊nd to the river along which they settled. The term was likely a corruption of akansea, the word applied to the Quapaw by another local indigenous community, the Illinois. Little Rock, the state capital, is located in the central part of the state. In 1957, Little Rock Central High School became the focus of national attention when federal troops were deployed to the campus to enforce integration.

Data do Estado: 15 de junho de 1836

Capital: Pedra pequena

População: 2,915,918 (2010)

Tamanho: 53,178 square miles

Apelido (s): The Natural State The Land of Opportunity

Lema: Regnat populous (“The people rule”)


Arkansas Directories


    The June 14, 1894 edition of The Craighead County Sun newspaper contained an article about the economic
    activity in Jonesboro and included a business directory of the city. While it is likely that there may have been business
    directories prepared for the City of Jonesboro prior to 1894, this year’s directory is the earliest which has been located
    and republished.
    1906 Jonesboro, AR City Directory Compiled and Published by Donham Directory, Co Springfield, Mo


Assista o vídeo: My Road Trip To Arkadelphia Arkansas (Outubro 2021).